Como Proceder Diante do Ensino da Sociedade e do Legado dos Nossos Pais?

No século 21 temos sido bombardeados com ensinamentos humanistas que dizem que somos frutos do meio. Normalmente quando alguém vai a um psicólogo para fazer uma consulta, o método usado por um psicólogo é analisar o paciente por meio de uma investigação do seu contexto, da sua personalidade, a dos seus pais, e parentes.

É comum a psicologia tratar o paciente como vítima da sociedade e não como responsável pelos seus atos. Também alguns ramos religiosos dizem que pode existir uma maldição hereditária sobre uma pessoa, por isso, a razão de ela nunca conseguir progredir na vida espiritual e material.

No século 20 vimos que fizeram um teste científico para comprovar essa tese. Fizeram testes com ratos, sim ratos. Nestes testes colocaram um rato em uma gaiolinha simples e dois recipientes com água. Num recipiente continha água pura e no outro água com droga. Na gaiola simples o rato sempre optava pela água com droga até uma overdose e morte. No outro teste, dessa vez uma “Ratolândia”, um verdadeiro parque de diversões e opções para o rato, inclusive outros ratinhos juntos. O teste era o mesmo, colocar um rato nessa Ratolândia com dois recipientes de água, um com droga e o outro não. Adivinhem? o rato começou a optar pela água limpa. e não mais por drogas. A taxa de mortalidade foi de 100% a 0% nessa experiência. ( https://www.youtube.com/watch?v=EKHOY9_f7rs )

Conseguem compreender agora porque existem as ideologias humanistas que querem dar recursos aos mais pobres? Os negros precisam de cota racial do governo, a favela teve o nome mudado para “comunidade” e o crime passa a ser justificado porque quem nasce na favela não tem outra opção, são vitimas da sociedade e de um país capitalista e sem amor? Perceberam como adaptaram academias para atividades físicas nas praças públicas? A ideologia humanista também esta infiltrada na política, a famosa guerra entre “direita” e “esquerda”, Capitalismo vs. Socialismo. Somos frutos do meio, ideologizados por uma sociedade Patriarcal, dizem eles.

Dada essa introdução, com base na minha crença de que a Bíblia Sagrada é um livro que não contém erros e que não pode conduzir ninguém ao erro. Quero discordar desses pressupostos existenciais, pois creio que as Escrituras nos responsabiliza pelos nossos atos:

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto. Quem poderá entendê-lo? Eu, o SENHOR, sondo o coração. Eu provo os pensamentos, para dar a cada um segundo os seus caminhos, segundo o fruto das suas ações.”

Jr 17.9-10 – NAA

Tudo o que foi mencionado até agora, todos os estudos têm sua importância. O meio em que vivemos, a família que fazemos parte, a criação que recebemos pode nos INFLUENCIAR a repetir as mesmas coisas, mas NÃO DETERMINAR. E é aqui que nós cristãos devemos romper com essas teorias.

Maldição Hereditária

Não existe. Normalmente quem ensina essa doutrina segue seu próprio misticismo e não a Bíblia. A primeira pergunta que precisa ser levantada contra esses ensinos é: “Amaldiçoado por quem?”. Normalmente eles querem “amarrar Satanás”, “repreender os demônios”, “quebrar simpatias”, “destruir macumbas” feitas a uma pessoa. Mas quando você questiona onde na Bíblia fala sobre maldição hereditária eles usam alguns textos, um dos clássicos é o seguinte:

Não faça para você imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima no céu, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não adore essas coisas, nem preste culto a elas, porque eu, o SENHOR, seu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam, mas faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos”.

Êx 20.4-6 – NAA (Destaque meu)

Uma leitura atenta do texto ensina exatamente o oposto do que creem. É o próprio Deus que faz isso e não Satanás e seus demônios! Aqui já começamos a desconstruir essa ideia.

Essa doutrina é antiga, o povo achava que o filho pagava pelo pecado do pai. O próprio Deus fez questão de corrigir esse pensamento que se tornou um provérbio no Oriente Antigo:

Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram.

Mas será que Deus não resolveu essa polêmica por meio do Profeta Ezequiel? Vejamos:

A palavra do SENHOR veio a mim, dizendo: — O que vocês querem dizer, vocês que ficam repetindo este provérbio a respeito da terra de Israel: “Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos é que se embotaram”? Tão certo como eu vivo, diz o SENHOR Deus, vocês nunca mais repetirão esse provérbio em Israel. Eis que todas as pessoas são minhas. Assim como a pessoa do pai, também a pessoa do filho é minha. A pessoa que pecar, essa morrerá. — Se um homem é justo e age com justiça e retidão — não come carne sacrificada nos altos nem levanta os olhos para os ídolos da casa de Israel; não contamina a mulher do seu próximo nem tem relações com a mulher menstruada; não oprime ninguém, mas devolve ao devedor a coisa penhorada e não rouba; reparte o seu pão com o faminto e cobre com roupas aquele que está nu; não empresta para ter lucro e não cobra juros; desvia a sua mão da injustiça e é imparcial ao julgar uma questão entre duas pessoas; anda nos meus estatutos e guarda os meus juízos, procedendo retamente —, esse tal é justo e certamente viverá, diz o SENHOR Deus. — Se ele gerar um filho ladrão, assassino, que fizer a seu irmão qualquer uma dessas coisas que o pai nunca cometeu, mas comer carne sacrificada nos altos, contaminar a mulher de seu próximo, oprimir o pobre e necessitado, praticar roubos, não devolver o penhor, levantar os olhos para os ídolos, cometer abominação, emprestar para ter lucro e cobrar juros, será que esse viverá? Não viverá. Ele fez todas estas abominações e será morto; é responsável pela própria morte. — E, se esse filho gerar um filho que veja todos os pecados que o pai cometeu, e, vendo-os, não fizer coisas semelhantes, não comer carne sacrificada nos altos, não levantar os olhos para os ídolos da casa de Israel, não contaminar a mulher de seu próximo, não oprimir ninguém, não retiver o penhor, não roubar, repartir o seu pão com o faminto, cobrir com roupas aquele que está nu, desviar a sua mão da injustiça, não emprestar para ter lucro nem cobrar juros, executar os meus juízos e andar nos meus estatutos, esse tal não morrerá por causa da iniquidade de seu pai; certamente viverá. Quanto ao pai dele, porque praticou extorsão, roubou os bens do próximo e fez o que não era bom no meio de seu povo, eis que ele morrerá por causa de sua iniquidade. — Mas vocês perguntam: “Por que o filho não paga pela iniquidade do pai?” Porque o filho fez o que era justo e reto. Ele guardou todos os meus estatutos e os praticou. Por isso, certamente viverá. A pessoa que pecar, essa morrerá. O filho não pagará pela iniquidade do pai, nem o pai pagará pela iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele, e a maldade do ímpio cairá sobre este. — Mas, se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e fizer o que é justo e reto, certamente viverá; não será morto. De todas as transgressões que cometeu, nenhuma será lembrada contra ele; pela justiça que praticou, viverá. — Vocês pensam que eu tenho prazer na morte do ímpio? — diz o SENHOR Deus. Não desejo eu muito mais que ele se converta dos seus caminhos e viva? Mas, se o justo se desviar da sua justiça e fizer maldade, fazendo as mesmas abominações que o ímpio faz, será que ele viverá? De todos os atos de justiça que praticou, nenhum será lembrado; na sua transgressão com que transgrediu e no seu pecado que cometeu, neles morrerá. — No entanto, vocês dizem: “O caminho do Senhor não é reto.” Então escute, ó casa de Israel: Será que é o meu caminho que não é reto? Não seriam muito mais os caminhos de vocês que são tortuosos? Se o justo se desviar da sua justiça e fizer maldade, morrerá por causa dela; na iniquidade que cometeu, morrerá. Mas, se o ímpio se converter da maldade que cometeu e praticar o que é justo e reto, ele preservará a sua vida. Pois se ele percebe o que fez e se converte de todas as transgressões que cometeu, certamente viverá; não será morto. No entanto, a casa de Israel diz: “O caminho do Senhor não é reto.” Será que são os meus caminhos que não são retos, ó casa de Israel? Não seriam muito mais os caminhos de vocês que são tortuosos? — Portanto, eu os julgarei, cada um segundo os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o SENHOR Deus. Convertam-se e afastem-se de todas as suas transgressões, para que a iniquidade não lhes sirva de tropeço. Livrem-se de todas as transgressões que vocês cometeram e façam para vocês um coração novo e um espírito novo. Por que vocês haveriam de morrer, ó casa de Israel? Eu não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus. Portanto, convertam-se e vivam.

Ez 18.1-32 – NAA

Portanto, queridos leitores, o texto diz por si mesmo. Nenhum filho paga pelo pecado do pai, “nossos dentes não embotarão porque nossos pais comeram uvas”.

“Há, mas meu pai morreu e nos deixou inimigos”, “minha mãe morreu e nos deixou dividas”, “porque eu tenho que pagar por algo que não fui eu quem fiz?”. Precisamos entender que o pecado trás consequências sociais, e muitas vezes o efeito do pecado atinge terceiros. Existe diversos textos na Bíblia que nos mostra isso, mas isso não se chama maldição hereditária. Saiba diferenciar o que é maldição hereditária do que são as consequências do pecado, isto sim realmente existe. O pecado é como uma bomba, quem estiver próximo poderá ser atingido.

Sobre a questão da INFLUÊNCIA que existe no âmbito familiar e social

Existem vários textos na Bíblia que podem ser usados para nos demonstrar isso, leia 1 Reis e 2 Reis, talvez seja “O” livro que mais demonstre a relação da influência da vida dos pais na vida dos filhos. Entretanto, o texto que iluminou minha mente na devocional de hoje, é um destaque muito simples do texto na vida do rei Acaz e de seu filho Ezequias. Ambos reinaram em Israel, mas a narrativa nos mostra um contraste interessante sobre a vida dos dois:

“Acaz tinha vinte anos de idade quando começou a reinar e reinou dezesseis anos em Jerusalém. Não fez o que era reto aos olhos do SENHOR, seu Deus, ao contrário de Davi, seu pai”.

2 Rs 16.2 -NAA (Destaque meu)

No terceiro ano do reinado de Oseias, filho de Elá, rei de Israel, Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá, começou a reinar. Tinha vinte e cinco anos de idade quando começou a reinar e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Abi e era filha de Zacarias. Ezequias fez o que era reto aos olhos do SENHOR, segundo tudo o que Davi, seu pai, havia feito. Removeu os lugares altos, quebrou as colunas e derrubou o poste da deusa Aserá. Também fez em pedaços a serpente de bronze que Moisés havia feito. Os filhos de Israel chamavam essa serpente de Neustã e até aquele dia lhe queimavam incenso.

2 Rs 18.1-4 – NAA (Destaque meu)

Acaz foi marcado pelo adultério espiritual (2 Rs 16.10-18), mas Ezequias considerado um reformador em Israel. Acaz um religioso sincretista, demonstrando uma falsa piedade (Is 7.10-13), mas Ezequias o oposto do pai, demonstrando um verdadeiro temor ao Senhor (2 Rs 20.2-3). Fez questão de ser diferente do seu pai, pois enquanto um não pede um sinal a Deus e foi repreendido pelo profeta, o outro faz questão de pedir um sinal a Deus (2 Rs 20.8). Leia as citações.

Será que o Espírito Santo não foi intencional ao nos revelar através dessa narrativa estes pequenos detalhes de um filho que fez questão de romper com os costumes e atitudes do seu pai? Não somente rompeu com as influências, mas influenciou os seus súditos a fazerem o que era reto diante de Deus.

Considerações finais

A sociedade, nosso país, a ideologia nas escolas, a política atual, a falsa mídia, os valores morais que são ensinados, as redes sociais, as religiões, a cultura, a família, são importantes para a vida, mas precisam ser analisados com cautela, devemos reter o que é bom. Quem define o que agrada a Deus é sempre a Sua própria Palavra, composta pelos 66 livros. Precisamos romper com a religiosidade dos nossos pais, bem como dos usos e costumes.

É mais importante obedecer a Deus do que aos homens.

Atos 5.29 – NAA

E também:

Os fatores externos podem influenciar, mas nunca determinar.

Todo pai ou mãe por mais imoral que tenha sido, ainda assim tem algo que possa nos ensinar, tanto pelo erro quanto pelo acerto. Se procederam bem, devemos imitar, se procederam mal, devemos fazer o contrário. Cada um prestará contas de seus próprios atos. Pois, o padrão de certo e errado, de moral e imoral já foram estabelecidos por Deus em sua Palavra.

Precisamos entender a cosmovisão da nossa geração. Porquê pensam do jeito que pensam? Porquê estabeleceram padrões de vida e conduta baseados em falsas teorias, mas que se passam como verdade? É quase impossível remover da mente dessas pessoas esses padrões de vida se não por meio do Espírito Santo de Deus. Disse Jesus:

Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.

João 17.17 – NAA

Finalizo com o seguinte texto:

De tudo o que se ouviu, a conclusão é esta: tema a Deus e guarde os seus mandamentos, porque isto é o dever de cada pessoa. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más.

Ec 12.13-14 – NAA

A seu serviço,

Rafael Soletti Martin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s